WEB RÁDIO

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Pilotos do jato Legacy são condenados por acidente com Gol


Os pilotos americanos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino, que estavam no jato Legacy que se chocou contra um avião da Gol, foram condenados nesta segunda-feira a prestar serviços comunitários pelo crime de atentado contra a segurança do transporte aéreo. Cabe recurso à decisão.

A sentença foi proferida pelo juiz federal Murilo Mendes, da Justiça Federal em Sinop (MT). O acidente aconteceu em 2006 e causou a morte dos 154 ocupantes do avião da Gol.

A pena prevista pelo crime seria de quatro anos e quatro meses de prisão, a serem cumpridos no regime semiaberto (na qual o preso apenas dorme no presídio), mas o magistrado substituiu a pena.

De acordo com a decisão, a prestação de serviços comunitários deverá ser realizada nos Estados Unidos, onde os pilotos vivem atualmente, mas em uma repartição brasileira ainda a ser definida.

Mendes também determinou que os pilotos sejam proibidos de exercer a profissão, mas seus documentos só poderão ser apreendidos após serem apreciados todos os recursos.

Atualmente, Paladino trabalha na companhia American Airlines, e Lepore continua na empresa de táxi aéreo ExcelAire, proprietária do Legacy.

Na denúncia (acusão formal) contra os pilotos, o Ministério Público Federal alega, baseado em relatório da Aeronáutica, que eles desligaram o transponder (equipamento anticolisão) momentos antes do acidente e só religaram depois.


Em depoimento feito nos EUA à Justiça brasileira, por videoconferência, os dois negaram que o equipamento estivesse desligado.


"Durante uma hora foram passageiros! Tempo aproximado de uma viagem de Porto Alegre a São Paulo. Tempo em que se percorre a extensão de um país. É muito. Tivesse decorrido um período de dez minutos entre o desligamento e a percepção, talvez não se pudesse censurar demasiadamente a conduta nessa fase. Mas não. Uma hora, no tempo da aviação, é uma eternidade", afirmou o magistrado na sentença.

No final do ano passado, o processo que apura o acidente foi dividido em dois: um sobre os pilotos e outro sobre os controladores de voo --acusados por erros que contribuíram para a colisão das aeronaves. Os controladores ainda não foram julgados pela Justiça Federal.


ACIDENTE


O Boeing da Gol que fazia o vôo 1907 ia de Manaus (AM) para o Rio com previsão de fazer uma escala em Brasília (DF). Ao sobrevoar a região Norte do país, foi atingido pelo Legacy da empresa americana ExcelAire.

Os destroços do Boeing caíram em uma mata fechada, a cerca de 200 km do município de Peixoto de Azevedo (MT). Mesmo avariado, o Legacy, que transportava sete pessoas, conseguiu pousar em segurança em uma base na serra do Cachimbo (PA).

O acidente expôs a fragilidade do controle aéreo brasileiro. O assunto deflagrou ainda aberturas de CPIs (Comissões Parlamentares de Inquéritos) e investigações da Polícia Federal e Aeronáutica, que concluiu que o equipamento anticolisão do jato foi desligado durante o voo.

Gilberto se despede do Santa Cruz


Artilheiro tricolor no Pernambucano, Gilberto não vai permanecer no Arruda para a disputa da Série D. Ainda não é oficial, mas o atacante já confirma o acerto com o Corinthians. A novela da transferência para o clube paulista se extende desde o final de março, e deve chegar a um final nos próximos dias.

Após as primeiras sondagens, Gilberto chegou a declarar que não gostaria de permanecer no Santa Cruz, clube que o revelou. O jogador explicou que havia chegado o momento de voos mais altos. Numa manobra jurídica, porém, a diretoria coral conseguiu adiar a saída do atleta.

Os dirigentes ainda não dão a saída de Gilberto para o Corinthians como certa, mas o atleta já fala como jogador do clube paulista. “É um sonho. Sou muito agradecido por tudo o que o Santa Cruz fez por mim e espero poder voltar a jogar aqui um dia”, destacou. Segundo Andrés Sanchez, presidente corintiano, Gilberto deverá chegar em São Paulo nos próximos dias.



Da redação do DIARIO DE PERNAMBUCO.

TIM prorroga inscrições para programa de estágio

Os universitários que desejam participar do programa Estágio Sem Fronteiras da TIM poderão se inscrever até o dia 31 deste mês. A operadora de telefonia oferece cerca de 130 vagas em todo o país para os estudantes dos cursos de administração, análise de sistemas, ciências da computação, ciências contábeis, direito, engenharia (da computação, eletrônica, elétrica, produção e telecomunicações), informática, marketing, entre outros. Os interessados deverão se cadastrar no site www.tim.com.br.

Os candidatos precisam estar a um ou dois anos da formatura, além de ter bom rendimento acadêmico e conhecimentos avançados em inglês e informática. Para os cursos de engenharia e área de TI (Tecnologia da Informação), os universitários poderão estar a até três anos da formatura. O processo seletivo inclui triagem de currículos no site, testes online, dinâmica de grupo e entrevista individual com o gestor da área de interesse do candidato.

A carga horária dos estagiários da TIM é de 20 horas ou 30 horas semanais e o período do contrato poderá se estender por até dois anos. O estágio oferece bolsa-auxílio (de valor não informado), vale-refeição, vale-transporte integral e celular funcional. O objetivo do programa é atrair os melhores estudantes para formar um banco de talentos. Os selecionados serão aproveitados internamente pela empresa.