WEB RÁDIO

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Saiba quem ganhou a Dodge Ram presente da Clube FM





Saiu! Saiu! Saiu!


Saiu o resultado da promoção da Clube FM valendo uma DODGE RAM


Quem faturou foi:


Selmo Francklin Jesus dos Santos

Data de Nascimento: 28/06/1986

RG: ***212***002-*

CPF: 009.***.863-**

Endereço: Quadra 80 - Lote 10 - Lago Azul

Telefones: (61)**** 4125 / **** 5148


Por que você merece ganhar uma Dodge Ram?


Eu só ando de ônibus, desde que me entendo por gente. Tirei minha CNH para conduzir o meu carro que sempre quis comprar, mas na verdade ela conduz mesmo é minha carteira em meu bolso, porque carro eu não consigo comprar, o salário é pouco e mal dá para me sustentar. Meu sonho quero realizar, andar no que é meu e passagem não ter que pagar. Com muito esforço consegui estudar, jogo sempre na loteria mas não consigo ganhar, já não sei mais para quem apelar. Quem sabe com essa promoção o jogo pode virar e em minha garagem uma DODGE RAM poder estacionar.


PARABENS SELMO!!!!


Obrigado a todos que participaram!!!

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Mano Menezes divulga lista de convocados para Olimpíadas de Londres. Hulk é a surpresa

Foto: Gazeta Press

A lista completa de convocados é a seguinte:

Goleiros: Rafael (Santos) e Neto (Fiorentina-ITA)

Laterais: Danilo (Porto-POR), Marcelo (Real Madrid-ESP), Rafael (Manchester United-ING) e Alex Sandro (Porto-POR)

Zagueiros: Thiago Silva (Milan-ITA), Bruno Uvini (São Paulo), Juan (Inter de Milão-ITA)

Volantes: Rômulo (Vasco) e Sandro (Tottenham-ING)

Meias: Oscar (Internacional), Paulo Henrique Ganso (Santos) e Lucas (São Paulo)

Atacantes: Alexandre Pato (Milan-ITA), Neymar (Santos), Leandro Damião (Internacional) e Hulk (Porto-POR).

Além dos 18 nomes confirmados, Mano também divulgou os quatro que ficarão de sobreaviso e poderão ser inscritos em caso de corte por lesão: Marquinhos (zagueiro do Corinthians), Giuliano (meia do Dnipro-UCR), Casemiro (volante do São Paulo) e Gabriel (goleiro do Milan-ITA).



Da redação.

REFLEXÃO DO DIA - FARDOS



Quando a ilusão o fizer sentir o peso do próprio sofrimento, como sendo opressivo e injusto, recorde que você não segue sozinho no grande roteiro.

Cada qual tolera a carga que lhe pertence.

Existem fardos de todos os tamanhos e feitios.

O poderoso arca com o peso da responsabilidade de decisões que influenciam grandemente o destino alheio.

O sacerdote sofre a tortura de um condutor de almas.

O coração materno angustia-se com a sorte de seus filhos.

O enfermo desamparado carrega as dores de sua indigência.

A criança sem ninguém sofre seu pavor.

Aprenda a entender o serviço e a luta dos semelhantes para não se supor indevidamente vítima ou herói.

No campo das provações, todos são irmãos uns dos outros, mutuamente identificados por semelhantes dificuldades, dores e sonhos.

Suporte com valor o peso de suas obrigações e caminhe.

Do acervo de pedra bruta nasce o ouro puro.

Do cascalho pesado emerge o diamante.

Do fardo que transportamos de boa vontade procedem as lições de que necessitamos para a vida maior.

Talvez você se pergunte qual a carga transportada pelos maus e levianos, que aparentemente passam pela vida isentos de provações.

Provavelmente eles, sob uma falsa aparência de vitória, vivem sob encargos singularmente mais pesados do que os seus.

Impunidade e injustiça são conceitos estranhos às leis divinas.

O céu não é um local físico predeterminado, mas um estado de consciência.

Ele somente é acessível, com seus tesouros de paz e luz, para quem está em harmonia com as leis divinas.

Nada há para invejar de quem ainda nem começou a se recompor com essas leis, por leviandade ou preguiça.

Pior ainda é a situação de quem, pela desdita de praticar o mal, está adquirindo débitos perante a vida.

Se o suor alaga sua fronte e se a lágrima lhe visita o coração, isso é um sinal de que a sua carga já está sendo aliviada.

Quem desempenha corajosamente, sem murmurações, as tarefas que lhe competem está caminhando para a plenitude de sua consciência.

Provas bem suportadas, sem desânimo ou preguiça, convertem-se de forma gradativa em tesouros de entendimento, paz e luz para a ascensão da criatura.

Lembre-se do madeiro injusto que dobrou os ombros doloridos do cristo.

Sob as vigas duras no lenho infamante jaziam ocultas as asas divinas da ressurreição para a imortalidade.

Deus criou o mundo estruturado por leis perfeitas, belas e justas.

Nesse harmônico concerto, por certo você não foi esquecido.

Sua vida não é regida por acasos.

As provações que o visitam visam a fortificá-lo, lapidá-lo, despi-lo de inferioridades que o infelicitam há longo tempo.

Não imagine, sequer por um momento, que o Pai Amoroso que Jesus nos revelou possa ser cruel.

As provas duram o tempo estritamente necessário para ajudá-lo a adquirir os valores e aprender as lições de que necessita.

Reduza sua quota de dores, dedicando-se ao bem com determinação e vigor.

Dê um basta nas reclamações e nos vícios, alegrando-se ao executar as tarefas que a vida lhe confiou.

Fardos e dificuldades não são desgraças, mas desafios a serem vencidos e superados, com otimismo e esperança.

Pense nisso.



Ouça as nossas reflexões diariamente comigo na Clube FM João Pessoa 103,3 às 05h00 no BOM DIA CLUBE.


quarta-feira, 4 de julho de 2012

REFLEXÃO DO DIA - FALANDO DE INGRATIDÃO



É comum se ouvir falar de ingratidão. Amigos que depois de terem privado da maior intimidade, se voltam violentos, desejando destruir. Basta uma pequena contrariedade, uma questão política, um diverso ponto de vista religioso. Eis formada a querela. O distanciamento.

Esquece-se de todos os benefícios recebidos. Dos abraços, das promessas, das alegrias repartidas e vividas em conjunto.

Esse tipo de comportamento demonstra como o homem, embora se diga humano, muito necessita crescer para se considerar como verdadeiro participante da Humanidade.

Recordamos de uma antiga lenda judia que fala de um homem condenado à morte e que ia ser apedrejado.

Os carrascos lhe jogaram grandes pedras. O réu suportou o terrível castigo em silêncio. Nenhum grito. Na sua condição, compreendia que a desgraça havia caído sobre ele e que seus gritos de nada serviriam.

Passou por ali um homem que havia sido seu amigo. Pegou uma pequena pedra e atirou na direção do condenado. Somente para demonstrar que não era do seu partido.

O pobre condenado, atingido pela diminuta pedra, deu um grito estridente.

O rei, que a tudo assistia, ordenou que um de seus lacaios perguntasse ao réu porque ele gritara quando atingido pela pequena pedra, depois de haver suportado sem se perturbar as grandes.

O condenado respondeu: As pedras grandes foram atiradas por homens que não me conhecem, por isso me calei. Mas o pequeno seixo foi jogado por um homem que foi meu companheiro e amigo. Por isso gritei.

Lembrei de sua amizade nos tempos de minha felicidade. E agora vi sua felicidade quando me encontro na desgraça.

O rei compadeceu-se e ordenou que o pusessem em liberdade, dizendo que mais culpado do que ele era aquele que abandonava o amigo na desgraça.

A lenda nos dá a nota de quanto dói a ingratidão de um amigo. Naturalmente, quanto mais estimamos e confiamos em alguém, mais nos atormentará a sua traição. A sua ingratidão.

É importante pois que examinemos nossas próprias ações, observando se não somos ingratos. Em especial com aqueles que estenderam a preciosidade da sua amizade, por longos e longos anos.

Não sejam as notas distantes de algumas rusgas que nos permitam agredir, de forma cruel, os que ontem nos sustentaram nas lutas.

Soubemos, há poucos dias, de uma aluna que, depois de ter recebido do seu mestre todo o apoio, em forma de ensino, livros, oportunidades de estágio, decidiu estabelecer uma questão judicial.

Esquecida dos tantos benefícios, das longas horas de dedicação do antigo mestre, depois de um desentendimento em que se sentiu lesada, resolveu requerer vultosa quantia como pagamento pelas horas de trabalho ao lado dele.

Olvidou o aprendizado, do quanto lhe devia por sua própria formação profissional. E mais: de quantas portas, graças à fama dele e experiência, se haviam aberto para ela.

Ingratidão. Sentimento que somente floresce nos corações enfermiços.

Moléstia do caráter que requer o remédio da compaixão.

* * *

Se alguém te retribui com a ingratidão o bem que doaste, não te entristeças.

É melhor receber a ingratidão do que exercê-la em relação ao próximo.

E se teu problema for de ingratidão dos filhos, guarda piedade para com eles e dá-lhes mais amor...

Porque a ingratidão dos filhos para com os pais é dos mais graves enganos que se pode permitir ao Espírito, em sua marcha evolutiva.


Pense nisso!


Ouça as nossas reflexões diariamente comigo na Clube FM João Pessoa 103,3 às 05h00 no BOM DIA CLUBE.


terça-feira, 3 de julho de 2012

REFLEXÃO DO DIA - AS FRUSTRAÇÕES DO HOMEM MODERNO




Grande parte das pessoas, na sociedade atual, é infeliz, é frustrada. Você já se perguntou por que isso acontece?

Muitos são os estudos feitos para se descobrir as possíveis causas da infelicidade do homem moderno e todos apontam para um único e grande causador de tudo isso: o próprio homem.

O ser humano traz em sua bagagem, ao nascer, um plano de felicidade. Ele traz consigo basicamente três motivações que o levarão a uma satisfação pessoal, se as conseguir manter ao longo da existência.

Uma delas é ter um relacionamento pessoal satisfatório.

Outra, é poder ser útil na comunidade em que vive e, por fim, crescer como indivíduo, alcançando sua auto-realização.

Se todas as pessoas conseguissem atender a esses apelos do seu interior jamais se sentiriam frustradas ou infelizes.

No entanto, há outros apelos muito fortes que vêm do exterior, que a sociedade impõe como sendo indispensáveis: ter muito dinheiro, ter fama e ser fisicamente atraente.

E é quando o ser humano entra na luta pela conquista de posses materiais, de fama e de uma aparência física atraente, que muitas vezes se infelicita e se frustra.

E por que isso ocorre?

Porque, em sua maioria, as criaturas se esquecem das suas aspirações íntimas e passam a lutar com todas as suas forças para conquistar o que a sociedade convencionou chamar de homem bem sucedido.

E, para "subir na vida", tantas vezes não se importa em passar por cima de seus semelhantes, e mata uma de suas motivações íntimas: a de ter um bom relacionamento pessoal.

Deixa de ouvir a voz da consciência que o chama à utilidade, junto à comunidade, e passa a lutar por uma profissão que lhe dê status e fama.

Se aspirar, por exemplo, a ser um médico útil à sociedade, passa a ver na profissão um meio de ganhar dinheiro e fazer fama, tornando-se um comerciante da medicina, que só atende se for bem pago.

E para poder se manter fisicamente atraente, muitos indivíduos vivem à custa de drogas e regimes cruéis, e passam a depender disso para manter as aparências.

E quando o corpo físico cobra seus tributos, em função da idade, passam a esticar a pele por todos os lados, como se fosse possível enganar as leis que regem a matéria.

O que o indivíduo não se dá conta, é que quanto mais luta para ter, mais se esquece de ser e mais se infelicita.

Os que conseguem conquistar posses materiais, fama, e uma boa aparência, passam a empregar seu tempo e sua saúde para mantê-los.

E os que não logram realizar esses sonhos estabelecidos pela sociedade, se tornam infelizes e frustrados por se julgarem incapazes para tal.

Jesus, o excelente psicólogo da Humanidade, recomendou que envidássemos esforços para conquistar bens que nem a traça nem a ferrugem consomem. E esses bens são as virtudes do Espírito, que nos seguem pela eternidade afora.

Assim, quando o ser humano entender que o dinheiro é meio e não fim para ser conquistado a qualquer custo, colocará esse bendito recurso a serviço do progresso próprio e dos seus semelhantes em todos os sentidos.

"Não vos inquieteis pela posse do ouro", recomenda Jesus.

E na parábola do rico fazendeiro que só se importava em encher os celeiros de forma egoísta Ele adverte: "Insensato que sois! Ainda esta noite lhe exigirão a alma."

Jesus, portanto, não disse que temos que desprezar os bens terrenos, nem o dinheiro, mas ensinou que os bens terrenos aqui ficam quando daqui partimos e que não vale a pena ganhar a vida e perder-se a si mesmo.

* * *

Você vale pelo que é, e não pelo que tem ou pela sua aparência física.

As virtudes são os tesouros mais preciosos que você pode conquistar.

Lembre-se sempre de que nada vale a pena se tivermos que abrir mão da nossa dignidade, da nossa honradez, ou dos nossos valores nobres.



Ouça as nossas reflexões diariamente na CLUBE FM JOÃO PESSOA 103.3 comigo às 05h00.



www.clubejp.fm