WEB RÁDIO

sexta-feira, 15 de março de 2013

REFLEXÃO DO DIA - PROJETO PARA HOJE


   

Hoje é o dia especialmente criado por Deus para a realização de um sonho. O seu sonho. Afinal, que idéias existem que você anda guardando secretamente? 

Qual o projeto ao qual você tem, nos últimos tempos, dedicado mais horas dos seus pensamentos? 

Pois hoje é o dia de, pelo menos, dar início às obras. Este dia está para você hoje, como esteve uma manhã para Beethoven, quando acordou com as notas básicas da Quinta Sinfonia na cabeça. 

Apesar de já se dedicar ao seu talento, ele certamente não imaginava que 200 anos depois, quase todos os habitantes do planeta, mesmo crianças, conheceriam aquelas poucas notas que iriam se repetir durante toda a sua sinfonia. 

O dia de hoje está para você exatamente como esteve para Chopin na tarde em que, escutando o tamborilar de uma goteira na sacada de sua casa, correu ao piano e compôs uma valsa. 

É um dia com todas as horas semelhantes àquelas que levaram Michelangelo a esboçar o projeto de pintura da Capela Sistina, em Roma. Projeto que levaria meses sobre meses para ficar pronto. 

Projeto que lhe valeu quase a perda da visão e o deixou doente, pelas condições precárias de trabalho, tanto quanto pela posição incômoda que a pintura da abóbada exigia. 

Pense que todos os gênios e pessoas importantes da História da Humanidade tiveram o mesmo tempo que você tem para colocar suas idéias em prática. 

Mesmo grandes pessoas de sucesso, que não estão nos livros de História da Humanidade, vêm fazendo as coisas com o mesmo número de horas disponíveis que você tem. 

Naturalmente, cada pessoa vive dentro de uma circunstância. Mas, a partir de sua realidade, o que você vai fazer, hoje, para realizar o seu projeto pessoal? 

Ele pode ser grandioso e ser dirigido para muitas pessoas. Ele pode ser especial e ser dedicado a alguém em particular ou até a você mesmo. 

O seu projeto pode ser ter a coragem de apanhar o telefone e discar o número daquele amigo com o qual você se desentendeu e pedir-lhe desculpas. 

O seu projeto pode ser reatar um namoro, retornar para o lar, que você acabou de descobrir ser um ninho de aconchego. 

O seu projeto pode ser se matricular no curso de culinária, jardinagem ou de pós-graduação, de Mestrado ou Doutorado. O seu projeto pode ser uma viagem para o Oriente ou a velha Europa, ou simplesmente até a casa de sua mãe, para lhe dizer, sorrindo: Oi, como vai a velhinha mais amada do meu coração? 

* * * 

Está no ar um novo dia. Programe já o que você vai fazer. O tempo está a seu favor. 

Use bem a sua inteligência, o seu talento, a sua força de vontade, a sua emoção. 

Este será um dia para você subir um degrau a mais na escada do progresso. 

Exatamente hoje, você pode criar as condições para chegar lá. 

Por isso, escolha bem os seus pensamentos. Não perca tempo com o que lhe traz aborrecimentos. Não perca tempo com maus pressentimentos. 

Entregue-se a Deus. Confie Nele, na sua capacidade, e vá em frente.



OUÇA AS NOSSA REFLEXÕES DIARIAMENTE COMIGO NA CLUBE FM JOÃO PESSOA 103.3 NO BOM DIA CLUBE



www.clubejp.fm

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

REFLEXÃO DO DIA - PERSISTÊNCIA E FÉ








Esta é a história de um garoto que vivia apenas com seu pai. Ambos tinham uma relação de amizade e respeito muito especial. 

O menino pertencia à equipe de futebol americano da escola, normalmente não tinha oportunidade de jogar, ou melhor, quase nunca. Mesmo assim seu pai permanecia sempre nas grades lhe fazendo companhia. 

Quando entrou no segundo grau o jovem era o mais baixo da classe, mas insistia em participar da equipe de futebol do colégio. E seu pai sempre orientava e explicava que ele não tinha que jogar se não quisesse realmente. 

Mas o garoto amava o futebol e não faltava em nenhum treino ou jogo, estava decidido a dar o melhor de si e se sentia comprometido. Os colegas o chamavam de "esquenta banco", porque vivia sentando como reserva... 

No entanto seu pai, com espírito lutador, sempre estava nas grades fazendo-lhe companhia, dizendo-lhe palavras de consolo e dando-lhe todo apoio que um filho podia esperar. 

Quando ingressou na Universidade, tentou entrar na equipe de futebol e todos estavam certos de que não conseguiria, mas ele venceu a todos entrando na equipe. 

O treinador disse-lhe que o tinha aceitado porque ele demonstrava jogar de corpo e alma em cada um dos treinos e ao mesmo tempo transmitia à equipe grande entusiasmo. 

A notícia encheu seu coração por completo, correu ao telefone mais perto e ligou para seu pai, que compartilhou com ele a emoção. 

Sempre enviava ao pai os ingressos para assistir aos jogos da Universidade. O jovem atleta era muito persistente, nunca faltou a nenhum treino ou jogo durante os quatro anos de universidade e também nunca teve a chance de participar de nenhum jogo. 

Era a final da temporada e justo alguns minutos antes de começar o primeiro jogo das eliminatórias, o treinador lhe entregou um telegrama. 

O jovem leu e ficou em silêncio por alguns instantes... 

Respirou fundo e, tremendo, disse ao treinador: meu pai morreu esta manhã: 

Existe algum problema se eu faltar ao jogo hoje? 

O treinador o abraçou e disse: tire o resto da semana de folga, filho, e nem pense em vir no sábado. 

Chegou o sábado e o jogo não estava bom... 

Quando a equipe estava com dez pontos de desvantagem o jovem entrou no vestiário, colocou o uniforme em silêncio, correu até o treinador e lhe fez um pedido, quase uma súplica: 

- Por favor, deixe eu jogar... Eu tenho que jogar hoje, falou com insistência. 

O treinador não queria escutá-lo. Afinal, não podia deixar que seu pior jogador entrasse no final das eliminatórias. 

Mas o jovem insistiu tanto que, finalmente, o treinador, sentindo pena, deixou: 

- Ok filho, pode entrar, o campo é todo teu... 

Minutos depois o treinador, a equipe e o público, não podiam acreditar no que estavam vendo. 

O pequeno desconhecido, que nunca tinha participado de nenhum jogo, estava sendo brilhante, ninguém podia detê-lo no campo, corria facilmente como uma estrela. 

Sua equipe começou a fazer pontos até empatar o jogo e nos últimos segundos o rapaz interceptou um passe e correu por todo o campo até fazer o último ponto... E graças a ele a sua equipe foi a vencedora. 

As pessoas que estavam nas grades gritavam emocionadas e ele foi carregado por todo o campo. 

Finalmente, quando tudo terminou, o treinador notou que o jovem se afastara dos outros e estava sentado, em silêncio e pensativo. 

Aproximou-se dele e falou: garoto não posso acreditar! Esteve fantástico! 

Conte-me como conseguiu! 

O rapaz olhou para o treinador e lhe disse: 

O senhor sabe que meu pai morreu..., Mas o que o senhor não sabia é que ele era cego. 

Meu pai assistiu a todos os meus jogos, mas hoje era a primeira vez que ele podia me ver jogando... 

E com um sorriso molhado de lágrimas concluiu: 

Eu quis mostrar a ele que sim, que eu podia jogar bem. 

*** 

Persistir num ideal, acreditar nas próprias forças, jamais desanimar, nem mesmo diante da morte, pois ela é a grande porta de acesso à imortalidade gloriosa... 

Eis uma boa receita para quem quer ser um vencedor...



Ouça as nossa reflexões diariamente comigo no Bom Dia Clube na Clube FM João Pessoa às 05h00



quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

REFLEXÃO DO DIA - PERDOAR É LIBERTAR-SE




   
Se alguém lhe atirasse uma pedra, o que você faria com ela? 

Você a ajuntaria e guardaria para atirar no seu agressor em momento oportuno a ou jogaria fora? 

Trataria dos ferimentos e esqueceria a pedra no lugar em que ela caiu? 

Se você respondeu que a guardaria para devolver em momento oportuno, então pense em como essa pedra irá atrapalhá-lo durante a caminhada. 

Vamos supor que você a guarde no bolso da camisa, onde fique bem fácil pegá-la quando for preciso. 

Agora imagine como essa pedra lhe causará bastante desconforto. 

Primeiro porque será um peso morto a lhe dificultar a caminhada lhe exigindo maior esforço para mantê-la no lugar. 

Segundo porque cada vez que você for abraçar alguém, ambos sentirão aquele objeto estranho a machucar o peito. 

Terceiro porque se você ganhar uma flor, por exemplo, não poderá colocá-la no bolso já que ele estará ocupado com aquele peso inútil. 

Em quarto lugar, o seu agressor poderá desaparecer da sua vida e você nunca mais voltar a encontrá-lo e, nesse caso, terá carregado a pedra inutilmente. 

Fazendo agora uma comparação com uma ofensa qualquer que você venha a receber, podemos seguir o mesmo raciocínio. 

Se você guardar a ofensa para revidar em momento oportuno, pense em como será um peso inútil a sobrecarregar você. 

Pense em quanto tempo perderá mentalizando o seu agressor e imaginando planos para vingar-se. 

Pondere quantas vezes você deixará de sorrir para alguém pensando em como devolverá a ofensa. 

E se você insistir em alimentar a idéia de revide, com o passar do tempo se tornará uma pessoa amarga e infeliz, pois esse ácido guardado em sua intimidade apagará o seu brilho e a sua vitalidade. 

Mas se você pensa diferente e quando recebe uma pedrada, trata dos ferimentos e joga a pedra fora, perceberá que essa é uma decisão inteligente, pois agirá da mesma forma quando receber outra ofensa qualquer. 

Quem desculpa seu agressor é verdadeiramente uma pessoa livre, pois perdoar é libertar-se. 

Ademais, quem procura a vingança se iguala ao seu agressor e perde toda razão mesmo que esteja certo. 

Somente pode considerar-se diferente quem age de forma diferente e não aquele que deseja fazer justiça com as próprias mãos. 

Em casos de agressões que mereçam providências, devemos buscar o apoio da justiça e deixar a cargo desta os devidos recursos. 

Todavia, vale ressaltar que perdoar não é apenas esquecer temporariamente as ofensas, é limpar o coração de qualquer sentimento de vingança ou de mágoa. 

Pense nisso! 

A pedra bruta perdoa as mãos que a ferem, transformando-se em estátua valiosa. 

O grão de trigo perdoa o agricultor que o atira ao solo, multiplicando-se em muitos grãos que, esmagados, enriquecem a mesa. 

O ferro deixa-se dobrar sob altas temperaturas e perdoa os que o modelam, construindo segurança e conforto. 

Perdoar, portanto, é impositivo para toda hora e todo instante, pois o perdão verdadeiro é como uma luz arremessada na direção da vida e que voltará sempre à fonte de onde saiu. 

Pense nisso!


Ouça as nossa reflexões diariamente comigo no Bom Dia Clube na Clube FM João Pessoa às 05h00.


www.clubejp.fm 

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

REFLEXÃO DO DIA - PENEIRA



Certa vez, uma mãe muito preocupada com a educação de sua filha a surpreendeu, junto a um grupo de amigas, comentando acerca de uma outra amiga ausente. 

O comentário naturalmente era desagradável. A mãe, então, convidou todas as meninas a seguirem com ela para a cozinha. Ali tomou de três peneiras, uma vasilha e uma porção de farinha. 

Despejou a farinha na primeira peneira, de furos grandes e facilmente a farinha passou para a segunda peneira que tinha furos um pouco menores. 

Agitou um pouco e a farinha caiu na terceira peneira, de malhas mais finas. Chacoalhou outra vez e a farinha finalmente caiu dentro da tigela. 

A mãe tomou, então, de uma tampa e com cuidado, cobriu o recipiente para que a farinha não se espalhasse, caso um vento forte se apresentasse. 

As meninas acharam aquilo tudo muito estranho e ficaram olhando, sem entender nada. 

A senhora sorriu e falou, dirigindo-se especialmente para a filha: 

Vamos imaginar que a farinha represente o comentário que você ouviu de alguém a respeito da sua amiga. Antes de passá-lo adiante, vamos passá-lo pelas três peneiras. Você tem certeza de que o que lhe contaram é a pura verdade? 

Bem, disse a garota, certeza mesmo eu não tenho, só ouvi alguns comentários. 

Se você não tem certeza, falou a mãe, a informação vazou pelos furos grandes da peneira da verdade. Agora vamos passá-la pela segunda peneira, a da caridade. 

Pense, minha filha, você gostaria que dissessem de você isto que você falava a respeito da sua amiga? 

Claro que não, respondeu prontamente a garota. 

Então a sua história acaba de passar pelos furos da segunda peneira. Agora caiu na terceira, que se chama razão. Você acha que é necessário, que é útil passar adiante esta história? 

A menina pensou um pouco, coçou a cabeça e respondeu: 

Pensando bem, acho que não há nenhuma necessidade. 

Pois muito bem, completou a mãe, assim como a farinha passou pelas três peneiras e ficou guardada na vasilha tampada, protegida do vento, o comentário que você ouviu, depois de passar pela peneira da verdade, da caridade e da razão, deve ficar guardado dentro de você. 

Assim procedendo, você impedirá que o vento da maledicência espalhe a calúnia e traga maiores sofrimentos para sua amiga. 

* * * 

Antes de tecermos qualquer comentário desabonador a respeito de quem quer que seja, reflitamos: será mesmo verdade o que nos disseram? 

Gostaríamos que dissessem de nós o que pretendemos contar aos outros? Será verdadeiramente útil para alguém passar adiante o que ouvimos? 

Se depois de passar pelas três peneiras, concluirmos que pode não ser verdadeira a informação, ou que, em se referindo à nossa pessoa, não gostaríamos de tal comentário, ou, finalmente, se o que sabemos nada trará de construtivo, de útil a outrem, calemos. 

O mal não merece comentário em tempo algum. O mal cresce na Terra porque os bons se encarregam de alardeá-lo aos quatro ventos, à conta de escândalo. 

A frase: Você já sabe?, repetida tantas vezes por nossa boca, deve começar a morrer dentro de nós, quando se trate de comentar a vida alheia. 

Divulguemos o mau proceder somente quando, comprovado verdadeiro, a sua divulgação possa trazer benefício a terceiros, a título de prudência ou cuidados. 

Caso contrário, sejamos sempre os promotores da boa palavra, que constrói, edifica, espalha luzes onde se expresse.



OUÇA AS NOSSAS REFLEXÕES NO BOM DIA CLUBE ÀS 05h00 NA CLUBE FM JOÃO PESSOA 103.3



www.clubejp.fm

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Reflexão do Dia - Os pressentimentos em nossas vidas




   

Você já teve, alguma vez, um pensamento repentino que o impele a tomar uma determinada atitude? 

Algo que você faz porque sentiu uma quase irresistível vontade de fazer, sem saber bem o porquê? 

Mas que, depois de um tempo, acaba por se dar conta que aquele ato lhe salvou a vida? Ou o impediu de cometer uma tolice? 

Assim é com viagem programada que, à última hora, se decide cancelar; um negócio pensado longamente e que é abortado na hora de sua concretização. 

Um imóvel que iria ser vendido a fulano e se opta por declinar da venda; a criança que seria deixada, por algumas horas, em casa de alguém, etc, etc. 

São situações aparentemente simples, comuns. Coisas do cotidiano. No entanto, o fato de fazer algo oposto ao que estava programado ou mudar alguma coisa que vinha sendo feita há muito tempo, decide por sua vida. 

Ou pela melhoria dela. 

Detalhes que você somente perceberá mais tarde. 

Assim é o caso daquela jovem de 17 anos. Morava em uma rua sem saída. 

De manhã, estava no quarto, preparando-se para sair. Um impulso a fez olhar para sua cama que ficava debaixo da janela e a empurrar para junto da parede oposta. 

Parecia um comando mental. E ela não pensou duas vezes. 

Ao chegar à porta para sair, olhou novamente o quarto e não pôde entender muito bem o que fizera. 

Ela não era uma pessoa com criatividade para decoração. Normalmente, decidia sobre a posição de um móvel e não mudava mais. 

Por um breve momento, ela tentou entender por que fizera aquilo. Mas, em seguida, resolveu sair e tocar a sua vida. 

A escola, as amigas, o estudo. Havia muita coisa para fazer, para dizer, para viver. 

À noite, ela foi a uma festa e voltou tarde para casa. Uma hora da manhã. 

Estava tão cansada que literalmente se jogou na cama e dormiu. 

No meio da madrugada, foi arrancada do sono por um enorme estrondo. 

Faróis ofuscantes, blocos de cimento despedaçado e a parte dianteira de um caminhão estavam no seu quarto. 

Pedaços de cimento caíram em sua cama. O quarto foi invadido por uma nuvem de poeira. 

Pulou da cama, assustada. Dentro do caminhão, estava uma mulher. 

Seu rosto sangrava e, mesmo assim, ela tentava engatar uma marcha à ré. 

Soube-se, mais tarde, que a mulher, totalmente drogada, tinha atravessado três pistas, derrubado a cerca do quintal e invadido o quarto, daquela forma. 

Passado o susto, a jovem se tomou de indignação pelo risco que correra. 

Depois, agradeceu por estar viva. 

Foi, no entanto, quando se deu conta de que, se não tivesse mudado a cama de lugar horas antes do desastre, o impacto do caminhão a teria matado, que ela deu graças a Deus por estar viva. 

E pela intuição que teve e atendeu de pronto. 

Na nova arrumação, o lado direito do caminhão ficou a trinta centímetros de sua cabeça. 

* * * 

O pressentimento, por vezes, é o conselho íntimo e oculto de um Espírito que nos quer bem. 

Na incerteza de atender ou não ao pressentimento, ore a Deus, Soberano Senhor de tudo e todos. 

Ele lhe enviará um de Seus mensageiros em seu socorro. 


Pense nisso!


Ouça as nossas reflexões diariamente às 05h00 comigo no Bom Dia Clube na Clube FM João Pessoa 103.3.


www.clubejp.fm