WEB RÁDIO

domingo, 27 de janeiro de 2019

Bombeiros confirmam 58 mortos em Brumadinho; 305 estão desaparecidos

Foto: REUTERS


O Corpo de Bombeiros confirmou que 58 pessoas morreram em decorrência da queda da barragem 1 do complexo Mina do Feijão, em Brumadinho (MG). Um ônibus foi encontrado na noite deste domingo, mas ainda não há mais informações sobre quantas pessoas estavam dentro do veículo.

"Não sabemos a quantidade de corpos ainda, mas os trabalhos estão sendo feitos. Por conta desse fato, vamos estender as buscas neste domingo", afirmou o tenente-coronel Flávio Godinho, da Defesa Civil de Minas Gerais.

Segundo a corporação, 305 pessoas estão desaparecidas. O número aumentou por que famílias cadastraram mais pessoas durante este domingo.

Buscas retomadas

Após a Defesa Civil descartar o risco de um novo rompimento de outra barragem do complexo da Mina do Feijão, as buscas foram retomadas na região. As pessoas que foram retiradas de suas residências poderão voltar para suas casas, segundo afirmou o tenente-coronel da Defesa Civil, Flávio Godinho.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros Pedro Aihara afirmou que, apesar da interrupção das buscas nesta manhã, ainda existe a chance de encontrar sobreviventes. "Existe a possibilidade de encontrar pessoas com vida. A medida que o tempo passa, a chance diminui. Mas sabemos que ainda assim é possível encontrar pessoas vivas", disse Aihara.

Sirenes e evacuação

Durante o dia, moradores de quatro regiões, incluindo o centro de Brumadinho, foram retirados de suas casas por risco de rompimento iminente da barragem. Minutos antes de anunciar a retomada das buscas, o próprio Godinho e o representante do Corpo de Bombeiros informaram que ao menos 3 mil pessoas seriam evacuadas. No total, segundo as primeiras avaliações das autoridades, ao menos 24 mil pessoas estariam em áreas de risco.

Por volta das 5h30 da manhã, sirenes tocaram em Brumadinho pedindo para que os moradores buscassem regiões mais altas da cidade. Durante toda a manhã, autoridades pediram para que a população buscasse três pontos seguros: uma igreja no centro da cidade, o quartel policial e o morro do Querosene.

O espaço aéreo da região, a partir deste domingo, ficará fechado para aeronaves em geral por determinação da Aeronáutica. O objetivo é facilitar ações de resgate. "Somente aeronaves envolvidas nas ações de resgate podem sobrevoar o local", disse o porta-voz dos Bombeiros.




Fonte: UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário