WEB RÁDIO

quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Prefeitura do Jaboatão requalifica Centro de Vigilância Ambiental e implanta Unidades Epidemiológicas de Isolamento

Foto: Chico Bezerra/PJG


A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes apresentou, na manhã desta quarta-feira (5), o novo prédio do Centro de Vigilância Ambiental (CVA). O equipamento, responsável por atuar na observação, prevenção e controle de zoonoses, foi totalmente reformado e readequado para garantir a implantação de Unidades Epidemiológicas de Isolamento. As áreas, separadas sanitariamente e preparadas para acolher animais de grande porte, são completamente gradeadas e reforçadas por telas de proteção, para evitar o acesso de insetos e propiciar o tratamento de forma individualizada, evitando o risco de contaminação.


Jaboatão é o primeiro município do estado a contar com um CVA equipado com área isolada para análise de zoonoses. O objetivo da adaptação é prevenir as doenças naturalmente transmissíveis entre os animais e o homem, como mormo e leishmaniose. Os animais que são acolhidos no local e tratados, quando apresentam resultado negativo para as doenças citadas, são encaminhados para baias coletivas e rotineiramente avaliados por veterinários da prefeitura.

“Jaboatão registra um número muito grande de animais abandonados nas ruas. Muitos tutores deixam desamparados animais mais velhos ou aqueles que estão doentes. As amplas obras de reforma e adaptação do CVA foram pensadas justamente por este ser um importante equipamento de controle e prevenção de doenças. É mais uma iniciativa da nossa gestão para garantir a saúde da população e o bem-estar dos animais”, comentou o prefeito Anderson Ferreira.


“Essas unidades epidemiológicas são únicas no estado e permitem que os animais entrem e permaneçam isolados durante o período de avaliação de uma zoonose chamada de mormo. Então, numa interdição pela Agência de Defesa Agropecuária (Adagro), apenas aquela baia será interditada, sem que precise isolar todo o curral, prejudicando a apreensão do animal”, explicou a veterinária do CVA, Keila Torreão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário